Visita ao roteiro Terra Dannemann encerra a programação de visitas do Festival Origens 2019

A fazenda Santo Antônio, do grupo Terra Dannemann, possui cerca de 1000 mil hectares, sendo 200 hectares destinados ao reflorestamento da Mata Atlântica e aproximadamente 280 para plantação de tabaco

Os participantes do Festival Origens 2019 estiveram, na tarde deste sábado (19), na fazenda Santo Antônio, no município de Governador Mangabeira, onde fizeram o roteiro Terra Dannemann. Uma visita guiada para conhecer o processo de cultivo do tabaco utilizado nos charutos da empresa. Em seguida, os apreciadores visitaram a fábrica da Dannemann, localizada na cidade de São Félix.

Na visita, guiada pelo diretor, Geraldo Menezes, foi possível conhecer o processo de cultivo da Dannemann, desde as estufas, local onde as sementes do tabaco são plantadas e tornam-se mudas para serem replantadas no solo, até a câmara fria, onde o tabaco descansa por alguns anos, para se tornarem charutos especiais. Já na fábrica, em São Félix, os visitantes acompanharam o trabalho artesanal minucioso das charuteiras que produzem os charutos de forma artesanal. Ao chegar na fábrica, os participantes foram surpreendidos com a representação de um verdadeiro cassino, com mesas de poker e um pocket show do grupo do Os Brothers e convidados, especialmente, para o lançamento do charuto Torpedo 52, edição limitada da marca.

Torpedo 52, charuto lançado pela Dannemann durante visita à fábrica da marca

“O Torpedo é absolutamente inédito na história da Dannemann. Nós treinamos as charuteiras por um bom tempo para elas conseguirem fazer, pois o bico é no formato de Torpedo mesmo, por isso que leva esse nome. Mas o mais importante foi conseguir fazer um blend de três grandes safras que a Dannemann tem, que foram as de 2003, 2006 e 2011. Essa combinação de safras e o formato vão proporcionar uma grande experiência de degustação para os nossos amigos, nossos consumidores”, explicou Geraldo.

A mineira Bárbara Gama, revelou estar impressionada com o processo de produção dos charutos. “Eu não imaginava que era tão complexo o plantio, a irrigação, a seleção do tabaco, a fermentação e as demais etapas do processo. Sem falar na tecnologia envolvida em todas as fases. Realmente é sensacional”, contou. Para Carlos Gomes, de São Paulo e amante de charutos nacionais, a visita foi muito gratificante. “Conhecer de perto as etapas da produção foi muito importante. Quando você compra um charuto não tem ideia do que está por trás daquele produto e é maravilhoso essa descoberta”, concluiu.

Charuteira Rita Brasil na produção dos charutos Torpedo 52

Após as visitas, os apreciadores participaram de um jantar de encerramento do Festival Origens 2019, realizado na noite deste sábado (19), no gramado da fábrica da Dannemann. A ocasião contou com apresentação cultural, além da participação musical da banda local Alfaya.

O festival é uma realização do Sindicato da Indústria do Tabaco do Estado da Bahia (Sinditabaco), com o apoio da Prefeitura Municipal de Cachoeira, Prefeitura Municipal de São Félix, Café Latitude 13º e Cachaça Rio do Engenho.

Últimos Posts

Fechar Menu