Terceiro dia do Festival Origens 2019 começa com visita à fábrica Monte Pascoal e workshop de harmonização com cachaça

Os workshops que integram a programação do festival têm o objetivo de valorizar e apresentar a qualidade de produtos de origem baiana como cachaça, café e charuto

O Festival Origens 2019 começou, na manhã deste sábado (19), na fazenda e fábrica da Monte Pascoal, no município de Governador Mangabeira, no Recôncavo da Bahia. Os apreciadores, que foram recebidos pela direção da fábrica, visitaram as plantações, a produção artesanal das charuteiras e participaram do lançamento do charuto Divinos. A programação também contou com um workshop de harmonização do charuto com a cachaça.

Durante a visita às plantações, os participantes conheceram mais sobre o processo de cultivo do tabaco, desde a semente até colheita, e questões técnicas sobre o plantio. A paulista Isabela Tupino, dona da Tabacaria Reis, em São Paulo, comentou sobre a relevância da visita para o comércio de charutos. “É muito interessante conhecer de perto as fases do plantio do tabaco, além de agregar muito conhecimento para o momento de compra e venda dos charutos”, disse.

Além das plantações, os apreciadores também conheceram o processo de secagem e fermentação do tabaco, bem como, a montagem do charuto, feito de forma artesanal. O carioca Isaac Almeida, dono da Tabacaria Africana, do Rio de Janeiro, destacou a importância das visitas às fábricas. “As apresentações contribuem para levar mais conhecimento aos clientes, que muitas vezes são carentes de detalhes. É um momento muito importante para conhecer a qualidade dos produtos e o que estamos consumindo, que é um charuto bem cuidado, feito com amor e com o suor do trabalhador brasileiro. Pois temos que valorizar, e muito, o produto nacional”, contou.

Charuto Divinos, lançamento da Monte Pascoal durante o evento

Outro momento que marcou a manhã, foi o lançamento do charuto Monte Pascoal Divinos. Segundo o dono da fábrica, Lorenzo Orsi, “o Divinos é um charuto 100% baiano, da safra de 2016, em edição limitada, que serão distribuídas no mercado nacional. Os apreciadores vão encontrar uma experiência única, caraterística dos nossos produtos que passam por um rigoroso processo de produção e qualidade.Outra novidade desse lançamento, são os acessórios, como a jarra em cerâmica dos Charutos Monte Pascoal Divinos, que hermeticamente vedada, climatizada com Boveda, para preservar os charutos desta rica edição limitada a 400 unidades”, revelou.

No workshop, os participantes conheceram com Maurício Maia e Isadora Fornari, especialistas em destilados, vários tipos de cachaça, as suas propriedades, seus efeitos junto ao charuto e como harmonizá-los. Eles foram convidados da Cachaça Rio do Engenho, parceira do evento, para conduzir o workshop. “Não existe uma regra para harmonizar a cachaça com o charuto. A harmonização é pessoal e vai depender do gosto de cada pessoa, mas o ideal é que se busque uma cachaça com características que valorizem o charuto ou os dois”, pontuou Maurício.

Maurício Maia realizando workshop de harmonização de charutos com cachaças

O festival é uma realização do Sindicato da Indústria do Tabaco do Estado da Bahia (Sinditabaco), com o apoio da Prefeitura Municipal de Cachoeira, Prefeitura Municipal de São Félix, Café Latitude 13º, e Cachaça Rio do Engenho.

Últimos Posts

Fechar Menu