Festival Origens 2019 promove visita à fábrica Menendez Amerino e workshop de harmonização com café no segundo dia de programação

Durante a visita à fábrica, Félix Menendez, que era um dos diretores da fábrica e faleceu no final do último ano, foi homenageado pelo amor aos charutos e criação de produtos admirados em todos mundo, desenvolvidos em mais de 40 anos de trabalho

O segundo dia do Festival Origens 2019 começou, na manhã desta sexta-feira (18), com muita alegria e música. Os participantes foram recebidos na fábrica Menendez Amerino, no município de São Gonçalo dos Campos, por funcionários e um grupo de Samba de Roda do Recôncavo da Bahia, apresentado pela banda marcial Bom Pace – Pé de Arte, Cultura e Educação.

Preparação dos cafés Latitude 13 ° para o workshop de harmonização entre charutos e café

Depois dessa recepção calorosa, os apreciadores participaram de um workshop de harmonização do charuto com o café, momento em que foi apresentado o café Arábica e a importância da origem e do processo de produção dos grãos. Lucca, proprietário da marca de café Latitude 13°, parceira do festival, deu algumas dicas para os participantes. “O café, um dos 4 C da Bahia (cachaça, café, charuto e chocolate), se harmoniza bem com o charuto quando um sabor não sobrepõe o outro. Desta forma, é preciso escolher o café conforme a intensidade do charuto”, explicou.

Charutos Dona Flor Gran Corona Graduado, um dos lançamentos da Menendez Amerino no evento

Durante a visita à fábrica, a Menendez Amerino realizou o lançamento dos seus mais novos produtos: os charutos Alonso Menendez Del Patrón Gran Corona e Dona Flor Gran Corona Graduado. As duas novidades são consideradas um marco pela qualidade e potencial de competitividade no mercado internacional. “São charutos encorpados, o que confere mais potência e muito mais intensidade, mas cada um com suas características. Então, são produtos aprimorados e feitos cuidadosamente para ganhar o mundo”, contou Rogério Ferraz, gerente comercial da Menendez Amerino.

Na visita à fábrica, os participantes conheceram o processo de seleção das folhas que são utilizadas na parte interna e na capa do charuto, além do trabalho artesanal das charuteiras na construção do produto. A apreciadora do Rio de Janeiro, Thais de Sá, viveu a experiência de enrolar o charuto, com o apoio da charuteira Patrícia Araújo dos Santos, que há 21 anos atua em fábricas da região. “Fantástico conhecer os bastidores e ter a vivência de enrolar um charuto. Foi muito gratificante porque faz parte da nossa história e porque entendemos como é feito, os cuidados, a atenção com a qualidade e os cortes”, revelou.

Já Cleiton Brasil, do Espírito Santo, destacou a importância do workshop e o lançamento dos charutos. “A harmonização do café com o charuto sempre foi maravilhosa, principalmente após uma refeição e o workshop foi muito bom para entendermos melhor a escolha do café. Em relação à visita, estou adorando, principalmente depois dos lançamentos, que são grandes e imponentes, além de bem saborosos”, contou.

O festival é uma realização do Sindicato da Indústria do Tabaco do Estado da Bahia (Sinditabaco), com o apoio da Prefeitura Municipal de Cachoeira, Prefeitura Municipal de São Félix, Café Latitude 13º, Fazenda Sagarana – Chocolate de Origem e Cachaça Rio do Engenho.

Últimos Posts

Fechar Menu